terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Midnattsol


O Midnattsol não é uma banda gótica mas, por ter surgido numa época em que a fórmula vigente do Gothic Metal já dava sinais de estagnação, o grupo sofreu uma certa desconfiança por parte do público devido ao fato dos vocais estarem a cargo de uma mulher. Ter uma vocalista era uma das caracteristicas fundamentais nas bandas de Gothic Metal que proliferaram no final dos anos 90 fazendo com que essa caracteristica se tornase um estigma anos mais tarde. Mas basta ignorar as opiniões pré-estabelecidas para perceber que o Midnattsol é uma banda de caracteristicas próprias.

O Midnattsol surgiu por intermédio do guitarrista Christian Hector, ex-lider do Penetralia, banda alemã de Dark Metal que teve uma curta e conturbada carreira. A maneira nada ética da gravadora gerenciar o Penetralia causou o desmantelamento da banda. “Fomos roubados, ficamos desapontados e cometemos muitos erros”, desabafa Christian que ainda passava por uma fase difícil e pouco criativa quando recebeu uma notícia que mudaria a situação. Graças a um amigo, Christian soube que a norueguesa Carmen Elise Espanaes viria para a Alemanha estudar. Essa informação motivou o guitarrista a iniciar uma nova jornada e a empolgação era óbvia: Carmen Espanaes é a irmã mais nova de Liv Kristine (ex-Teatre of Tragedy e atualmente no Leave’s Eyes). Carmen respondeu prontamente ao e-mail que Christian lhe enviou e, após encontrarem-se em um bar perto de Sttutgart, compõem a música “Pa Leting”. Animado, Christian convida dois ex-companheiros do Penetralia, o baterista Chris Merzinsky e o tecladista Daniel Fischer. Foi Chris Merzinsky que convidou a bela Birgit Öllbrunner para assumir o posto de baixista e por último entra o guitarrista Daniel Droste. E assim nasce o Midnattsol (“Sol da Meia Noite” em norueguês).


O que determinou a peculiar caracteristica do som da banda foi que, tanto Christian quanto Carmen estavam muito envolvidos com Folk Metal e música folclórica em geral. Essa influência continuou mesmo depois da entrada dos outros membros que agregaram elementos do Death e do Black Metal. Com a formação em perfeita sintonia com a proposta folk, o Midnattsol grava uma Demo em 2003. Não demora muito e logo assinam a Napalm Records.

Em 2004 o Midnattsol estra em estúdio para gravar o primeiro CD que contava com Alex Krull (lider do Atrocity) na produção. Por pouco a banda não sofre uma baixa: nesse meio tempo Carmen recebe uma proposta para acompanhar o Cradle Of Filth em uma turnê pela América do Sul. Apesar da proposta tentadora Carmen opta por permanecer no Midnattsol.

No início de 2005 lançam o CD de estréia “Where Twilight Dwells”. Com guitarras pesadas que remetiam ao Death Metal e influências folk inspiradas na cultura nórdica, o Midnattsol mostrava-se uma banda inspirada e diferenciada. O debut apresentava uma sonoridade folk sem se utilizar de instrumentos exóticos como é comum nas bandas do estilo. Carmen também teve um papel importante: além de escrever quase todas as letras e participar do processo de composição das músicas, sua voz suave e agradável unida a uma interpretação inspirada combinou perfeitamente com a sonoridade, o que ajudou na concepção do clima escandinavo presente em todo o álbum. “Where Twilight Dwells” obteve excelentes resenhas da crítica especializada.


A estréia diante do público também foi com o pé direito. Apresentando-se no 14 Wave Gotik Treffen, no mês de maio em Leipzig, Alemanha. O Midnattsol realiza uma apresentação empolgante e Carmen mostra-se uma excelente ‘frontwoman’, comunicando-se com toda a platéia e dançando de uma maneira um tanto sensual para os padrões europeus. Após o show em Leipzig a banda apresenta-se em várias cidades européias divulgando o CD de estréia.

O trabalho da banda também repercutiu no Brasil onde obtiveram excelentes resenhas nas principais revistas nacionais de Rock/Metal. Em uma eleição para escolher os destaques do ano, os leitores da Rock Brigade elegeram o Midnattsol uma das revelações de 2005.

Pra quem não conhece a banda, tá aqui em baixo um vídeo com a música Northern Light.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Satyrian - Rock Gótico



SATYRIAN é uma banda de rock gótico internacional, combinando letras com atmosferas obscuras em wave, rock, orquestra clássica, piano e guitarras pesadas.
A história de seu novo álbum "Eternitas" retorna à Dezembro de 2002, quando a banda começou a gravar no estúdio Spacelab na Alemanha. Embora no momento em que se chamavam Danse Macabre, estes foram os primeiros dias de SATYRIAN. Gravações começaram com o baterista Merijn Mol (Danse Macabre, The Dreamside), o baixista Milos Marisevic (Danse Macabre) e compositor / guitarrista Jan "Örkki" Yrlund (Danse Macabre, ex-Lacrimosa, Prestige, Imperia, Angel, Delain). Piano e alguns vocais limpos foram fornecidos pelo produtor Oliver Philipps (também em Everon). A banda convidou Kemi Vita (A Dreamside) como vocalista convidado. Judith "Ciara" Stüber também participou da gravação, ela já tinha se juntado à banda durante três canções em seu álbum anterior, "Eva".
Com uma turnê de verão se aproximando rapidamente, a banda convidou seus hóspedes a se juntar a eles. Vocalistas convidados Kemi e Judith alegremente concordaram, e o produtor Oliver também se juntou à banda para esta viagem. Neste ponto, a banda estava quase completa. Tudo o que estava faltando era um cantor final para completar o line-up (Isso eles encontraram em Roman Schönsee (ex-Pyogenesis, The Bloodline, The Dreamside). Depois dos ensaios no Spacelab, a banda foi para a Finlândia para a turnê. Lá, eles também gravaram cenas na Lapónia para um vídeo com o diretor próximos Jari Koskela.


Enquanto estava em turnê, a banda e convidados formaram um laço que não é facilmente quebrado, e os convidados foram convidados a se juntar à banda como membros plenos. Com o álbum ainda está faltando os vocais, a banda voltou ao estúdio Spacelab em 2004. Com todos os três vocalistas experimentando novos sons, as gravações foram verdadeiramente um processo criativo. Não só eles estabelecem os vocais, a banda se empolgou e gravou com um novo piano, baixo e peças orquestrais. Eles também acrescentaram uma música extra à mistura. Até Junho de 2004, as gravações estavam completas ea banda adotou o novo nome: SATYRIAN.
 


No Outono de 2005, a empresa SATYRIAN do antigo recorde concordou com o pedido da banda para transferir o álbum, e a banda assinou um novo contrato de gravação com a gravadora Lion Music.
O novo álbum "Eternitas" é composto por 12 canções em uma grande variedade de estilos musicais. De Gothic Rock puro com batidas Industriais , elementos folclóricos para a atmosfera clássica, o álbum corre o gammot de gostos musicais. O contraste entre os dois de sexo masculino e duas  vozes femininas, definem o som da banda. O trabalho de guitarra varia de riffs de rock e metal melódico que levam, muitas vezes combinações com piano. As letras são Obscuras e atmosféricamente oferecem um olhar mais atento em profundas emoções pessoais. É um álbum sobre a vida e morte, desejo, medo, perda e eternidade, o Eternitas.
Bem vindos ao mundo SATYRIAN!