segunda-feira, 4 de março de 2013

Edgar Allan Poe



Edgar Allan Poe nasceu no seio de uma família escocesa-irlandesa, filho do ator David Poe Jr., que abandonou a família em 1810, e da atriz Elizabeth Arnold Hopkins Poe, que morreu de tuberculose em 1811. Depois da morte da mãe, Poe foi acolhido por Francis Allan e o seu marido John Allan, um mercador de tabaco bem sucedido de Richmond, que nunca o adotou legalmente, mas lhe deu o seu sobrenome (muitas vezes erroneamente escrito "Allen"). Depois de frequentar a escola de Misses Duborg em Londres, e a Manor School em Stoke Newington, Poe regressou com a família Allan a Richmond em 1820, e registrou-se na Universidade da Virgínia, em 1826, que viria a frequentar durante um ano apenas. Desta viria a ser expulso graças ao seu estilo aventureiro e boêmio.

Na sequência de desentendimentos com o seu padrasto, relacionados com as dívidas de jogo, Poe alistou-se nas forças armadas, sob o nome Edgar A. Perry, em 1827. Nesse mesmo ano, Poe publicou o seu primeiro livro, Tamerlane and Other Poems. Depois de dois anos de serviço militar, acabaria por ser dispensado. Em 1829, a sua madrasta faleceu, ele publicou o seu segundo livro, Al Aaraf, e reconciliou-se com o seu padrasto, que o auxiliou a entrar na Academia Militar de West Point. Em virtude da sua, supostamente propositada, desobediência a ordens, ele acabou por ser expulso desta academia, em 1831, fato pelo qual o seu padrasto o repudiou até a sua morte, em 1834.

Poe mudou-se, em seguida, para Baltimore, para a casa da sua tia viúva, Maria Clemm, e da sua filha, Virgínia Clemm. Durante esta época, Poe usou a escrita de ficção como meio de subsistência e, no final de 1835, tornou-se editor do jornal Sothern Literary Messenger em Richmond, tendo trabalhado nesta posição até 1837. Neste intervalo de tempo, Poe acabaria por casar, em segredo, com a sua prima Virgínia, de treze anos, em 1836.

Em 1837, Poe mudou-se para Nova Iorque, onde passaria quinze meses aparentemente improdutivos, antes de se mudar para Filadélfia, e pouco depois publicar The Narrative of Arthur Gordon Pym. No verão de 1839, tornou-se editor assistente da Burton's Gentleman's Magazine, onde publicou um grande número de artigos, histórias e críticas. Nesse mesmo ano, foi publicada, em dois volumes, a sua coleção Tales of the Grotesque and Arabesque (traduzido para o francês por Baudelaire como "Histoires Extraordinaires" e para o português como Histórias Extraordinárias), que, apesar do insucesso financeiro, é apontada como um marco da literatura norte-americana.

Durante este período, Virgínia Clemm soube sofrer de tuberculose, que a tornaria inválida e acabaria por levá-la à morte. A doença da mulher acabou por levar Poe ao consumo excessivo de álcool e, algum tempo depois, este deixou a Burton's Gentleman's Magazine para procurar um novo emprego. Regressou a Nova Iorque, onde trabalhou brevemente no Evening Mirror, antes de se tornar editor do Brodway Journal. No início de 1845, foi publicado, no jornal Evening Mirror, o seu popular poema The Raven (em português "O Corvo").

Em 1846, o Brodway Journal faliu, e Poe mudou-se para uma casa no Bronx, hoje conhecida como Poe Cottage e aberta ao público, onde Virgínia morreu no ano seguinte. Cada vez mais instável, após a morte da mulher, Poe tentou cortejar a poeta Sarah Helen Whitman. No entanto, o seu noivado com ela acabaria por falhar, alegadamente em virtude do comportamento errático e alcoólico de Poe, mas bastante provavelmente também devido à intromissão da mãe de Miss Whiteman. Nesta época, segundo ele mesmo relatou, Poe tentou o suicídio por sobre dosagem de láudano, e acabou por regressar a Richmond, onde retomou a relação com uma paixão de infância, Sarah Elmira Royster, então já viúva.

Diferentemente da maioria dos autores de contos de terror, Poe usa uma espécie de terror psicológico em suas obras, seus personagens oscilam entre a lucidez e a loucura, quase sempre cometendo atos infames ou sofrendo de alguma doença. Seus contos são sempre narrados na primeira pessoa.

No dia 3 de Outubro de 1849, Poe foi encontrado nas ruas de Baltimore, com roupas que não eram as suas, em estado de delirium tremens, e levado para o Washington College Hospital, onde veio a morrer apenas quatro dias depois. Poe nunca conseguiu estabelecer um discurso suficientemente coerente, de modo a explicar como tinha chegado à situação na qual foi encontrado. As suas últimas palavras teriam sido, de acordo com determinadas fontes, «It's all over now: write Eddy is no more», em português, «Está tudo acabado: escrevam Eddy já não existe».

Nunca foram apuradas as causas precisas da morte de Poe, sendo bastante comum, apesar de incomprovada, a ideia de a causa do seu estado ter sido embriaguez. Por outro lado, muitas outras teorias têm sido propostas ao longo dos anos, de entre as quais: diabetes, sífilis, raiva, e doenças cerebrais raras


As obras mais conhecidas de Poe são Góticas, um gênero que ele seguiu para satisfazer o gosto do público. Seus temas mais recorrentes lidam com questões da morte, incluindo sinais físicos dela, os efeitos da decomposição, interesses por tapocrifação, a reanimação dos mortos e o luto. Muitas das suas obras são geralmente consideradas partes do gênero do romantismo negro, uma reação literária ao transcendentalismo, o qual Poe fortemente não gostava.

Além do horror, Poe também escreveu sátiras, contos de humor e hoaxes. Para efeito cômico, ele usou a ironia e a extravagância do ridículo, muitas vezes na tentativa de liberar o leitor da conformidade cultural. De fato, "Metzengerstein", a primeira história que Poe publicou, e sua primeira incursão em terror, foi originalmente concebida como uma paródia satirizando o gênero popular. Poe também reinventou a ficção científica, respondendo na sua escrita às tecnologias emergentes como balões de ar quente em "The Balloon-Hoax".

Poe escreveu muito de seu trabalho usando temas especificamente oferecidos para os gostos do mercado em massa. Para esse fim, sua ficção incluiu muitas vezes elementos da popular pseudo ciência, como frenologia e fisiognomia.  


Obras:

* A Dream (1827)
* A Dream Within a Dream (1827)
* Dreams (1827)
* Tamerlane (1827)
* Al Aaraaf (1829)
* Alone (1830)
* To Helen (1831)
* Israfel (1831)
* The City in the Sea (1831)
* To One in Paradise (1834)
* The Conqueror Worm (1837)
* The Narrative of Arthur Gordon Pym (1838)
* Silence (1840)
* A Descent Into the Maelstrom (1841)
* Tell Tale Heart (1843)
* Lenore (1843)
* The Black Cat (1843)
* Dreamland (1844)
* The Purloined Letter (1844)
* The Divine Right of Kings (1845)
* The Raven (1845)
* Ulalume (1847)
* Eureka (1848)
* Annabel Lee (1849)
* The Bells (1849)
* Eldorado (1849)
* Eulalie (1850)
* The pit and the pendulum (1842)
* William Wilson (1839)



Informações retiradas do blog Edgar Alan Poe

Hitórias em Quadrinhos com temas Góticos (((HQ's Góticas)))

Recebi a sugestão de um amigo que achei bem interessante, e resolvi postá-la aqui! Histórias em Quadrinhos com temas góticos, aposto que muitos conhecem pelo menos uma ou outra aqui citadas. Espero que gostem e se interessem em ler!


Jhonny the homicial maniac: é o primeiro comic de Jhonen Vasquez, criador do desenho cancelado pela nickelodeon por ser muito "estranho", "Invasor Zim", Johnny the homicidal maniac, um comic de humor negro e suspense que conta a historia de Johnny um menino com extintos de maníaco que diz ter seus motivos para matar, afirmando ter que manter "o muro fresco". De tanto matar para isso, ele acabou se tornando um psicopata e sádico, que julga as pessoas e condena do jeito que bem entende. São historias intermediarias, insanas em cada capitulo ,de onde surgiram muitos personagens, ideias e etc, porem censuradas e disfarçadas, que aparecem no desenho "invasor zim".

 
Lenore: é escrita e desenhada por Roman Dirge e conta a história de uma linda garota morta e de Mr. Gosh, o boneco que a ama (e que ela odeia). Lenore fez sua primeira aparição em 1992, na revista Xenophobe e foi concebida em homenagem à Lenore(ou Lenora) do famoso conto O Corvo, de Edgar Allan Poe(Alguem ai leu a Casa dos Horrores?), ganhando um título próprio cinco anos depois, pela SLG Publishing.  As histórias da menininha morta criada por Roman Dirge sempre tiveram o humor negro como tema central, mas Lenore de Dirge ainda conserva sua inocência viva, mas uma inocência mórbida e até mesmo um pouco macabra, seja acidentalmente matando o Coelho da Páscoa ou não tão acidentalmente assim matando repetidas vezes seu admirador, Mr. Gosh, Lenore subverte figuras e elementos da cultura pop, transformando o cotidiano em macabro.
Com uma peculiar atração por animais diminutos de estimação ou não, essa linda garotinha morta vai te levar à várias aventuras macabras, singelas, perversas, carinhosas e engraçadas!!
Para quem ficou com vontade, achei um link com revistinhas em flash ;)
https://www.youtube.com/watch?v=71Cb_Kvw-Lc
HellBlazer: tem como personagem principal John Constantine, que enfrenta anjos, demônios, espíritos e muitas outras criaturas.Esta HQ deu origem ao filme Constantine ao qual o protagonista foi interpretado pelo ator Keanu Reves,  HellBlazer é um selo da Vertigo. 


Casa dos Mistérios: é também uma das HQs mais famosas da Vertigo e uma das mais interessantes por conter várias histórias dentro de uma só, sem esquecer de falar dos mais variados personagens e criaturas que aparecem por lá.
Fig, Ann, Harry,Cress e os outros que estão aprisionados na casa convivem com criaturas sinistras...

Espero que tenham gostado e se interessado por esse tipo de leitura! Uma boa noite e bons sonhos, ou não...